segunda-feira, 3 de setembro de 2007

.Signo.




[...] Ela andou mais uma vez pela sala.estava tudo como não deveria estar.passou a mão pelos cabelos - como era de costume - tentou achar uma solução...o coração saltava-lhe pela boca! ela precisava resolver tudo aquilo..mas como?Na cabeça dela era como se tudo fosse se resolver a qualquer momento...sozinho...mas isso dificultava ainda mais as coisas...Sua mãe colocou a cabeça no vão da porta e percebeu seu semblante perturbado.Perguntou o que estava havendo e ela respondeu com um:


- "NADA!"


melhor assim, ela só iria piorar as coisas[...]

Nenhum comentário: