terça-feira, 8 de janeiro de 2008

.A verdade mentE.

Terceira vez só aquele dia, ela contou! A textura seca e colante escorria seu rosto e molhava seu coração. Foi alguma coisa que ele disse? Não, foi alguma coisa que ele não disse. Ela se arrependeria por pensar assim, ela sabia. Mas era estranho que por mais que ela soubesse que não deveria fazer aquilo e que por fim estragaria tudo, ela o fazia. Não por querer, mas por ser assim. Então ela começou a se culpar...Por ser tão criança,por ser tão como ela era.Quis então ser completamene diferente e jurou que nunca mais faria as coisas que fazia.Ma ela sabia que não conseguiria...talvez ela simplesmente não quisesse.

2 comentários:

Anna Flávia disse...

é que isso de mudar é complicado.


ei, e não nos adicionamos aquela vez no orkut. você ainda está por lá? x)

beijo

Ludmila Prado disse...

não sei, + eu não consigo ser outra, mesmo que as vezes não goste do que sou.
acho que espressou muito bem essa idéia no seu texto, gostei muito.

um beijo