sábado, 29 de março de 2008

.O perfume das manhãS.



Do fim do corredor, ela andava. No canto, alguns conversavam. Como num sonho, ou pesadelo, em que não se pode acordar, ao menos ela tentava visualizar as coisas de um lugar mais seguro. No sonho, só pensava em uma coisa: Ligar para a menina da lua. Mas aí seria um interurbano. Dá para ver, mas não pra tocar. Cairia em outro pesadelo. Minha cara amiga, a tarifa não tem graça, pensei. Os últimos dias haviam sido iguais. Mais do mesmo. Sempre de chuva, vontades, meias verdades... Há quem diga que elas não existem, as meias verdades. Seria uma mentira, não?...Talvez elas sejam censo comum. Vai saber.
O feriado acabou e ficaram as fotos daquele mundo paralelo. Ruim era pegar a nave de volta. Cada dia uma certeza de talvez estar se enganando. As frases escritas para se acreditar. Todas prévias. Doía lê-las. Eu tinha vontade de desarmá-la.
Sempre tão cansada, ela descobria que não havia lhe feito tão mal. O tempo era liquid paper.
Foto por Lívia Vasconcelos (Eu)

15 comentários:

darsh. disse...

Os finais dos sesus textos são os melhores ;)

Beijos, sumida.

nega disse...

eu tenho inveja de tu véi, mas é uma inveja boa!
ahuahuahaua
tu raja demais véi
eu te amo, xuxu!
=*

Lulu disse...

ô vei, que lindo :)
o tempo era liquid paper!

adorei!
frequentadora agora!

beijao, Lu!

darsh. disse...

Caramba, the best comment EVER.
AMEI!!!
Viva os comentários-livros, pena que nunca consigo fazer um (se é que todas as pessoas gostam de comentários grandes que nem eu). Enfim, sei como é esse negócio do tempo. Sei muito bem, e você também, sabe o M né? Mas eu consegui enterrá-lo e nunca mais tropecei no montinho. (Eu vi ele dia desses na Universidade e só consegui pensar "que camisa estranha").

Hhahaha ficou grandinho esse né?
;*

'Pierquim disse...

Tempo não é borracha, é liquid paper.

E eu vo abrir um processo contra vc que não bota direitos autorais pras frases alheias!
kkkkkkkkkkkkkk
mas pros seus textos eu deixo...eles tem nível pra isso
kkkkkkkkkk
=****

Tarci disse...

As vezes tbm faço estas viagens e fico pedindo pra não voltar rsrsrs
E quando volto, fico pedindo desesperadamente, pare o mundo que eu quero descer.

Beijos e ótima semana!

Mila disse...

"Tempo, tempo, mano velho Falta um tanto ainda Eu sei"
O tempo e sua relatividade me atormentam.
E eu queria ter uma nave para fugir deste mundo de vez em quando, ir visitar meus amigos que moram lá na lua. Ou tão longe quanto a lua. rs

Quando comecei a ler, pensei na foto do corredor.

***
Tem presente pra você lá na minha Caixa.

Beijo

Lorita disse...

essa poderia ser a frase da minha vida: "Sempre tão cansada, ela descobria que não havia lhe feito tão mal. O tempo era liquid paper.
"

bjm

tati-voronkoff disse...

txaa que massa, ficou bem legal isso :] ruim é pegar a nave de volta, realmente =~.
flw!

Sarah disse...

"O tempo era liquid paper."
kkkkkkkkkkk

a frase que marcou nosso dia de trabalho! ;D
(L)

Paula Calixto disse...

Há meias verdes que ardem. Há meias verdades. Há meias inteiras mentiras e essas são as que mais queimam.

E o liqui paper é sempre disfarce.

Mas, pra que saber tudo isso se ela já sabe?

(;

Beijos.

Artur Finizola disse...

muito legal aqui... parabéns. :)

Nightingale disse...

"Ruim era pegar a nave de volta"

Tanto é que ainda não peguei.


Beijo.
Saudade.
Amo.

AnaLua disse...

"O tempo era liquid paper"... menina, de onde tirou isso?? O meu tempo é como aquelas canetas marca-texto...

Luiz Felipe Leal disse...

isso é pós-calmaria. onde só se dá conta de sua existência, um passo a frente dela.

então chamamos nostalgia.