quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Isso é uma música



Trilha(1)

De vez em quando aqueles lapsos acontecem mesmo e gente que tem coração batendo no peito faz a conexão muito perigosa entre músculo que pulsa e sente, e massa que faz pensar. Daquele momento em diante, eu juro que nem me importava mais. Já fazia a seleção naturalmente, entre os idiotas de festa e os ex.

-O que eu gosto na gente é não precisar começar uma conversa idiota com papo idiota. Nós vamos logo pra idiotice que interessa.
-Que lindo isso!
-hahahahaha
Eu deitada no colo dele, agora sentava no sofá e colocava o cotovelo apoiado nas coxas e pressionava um dos meus olhos com a mão direita. Eu gostava disso.
- O que foi? tá pensando em que?
-Em como eu acho você doida mesmo. Louca de pedra. E em como a gente viveu tanta coisa.
-Ihhh...
-Eu não tô querendo ter nenhum discussão de relação com você, relaxe. Mas eu te conheço hoje como a mim mesmo, eu sei exatamente aonde você vai complicar as coisas. Meio suicida, né?
-Esse momento ex casal? ahaha acho muito. Inclusive eu fico sim pensando, não acho que você me conheça tanto assim, até porque eu mudei tanto, você mudou tanto.
- Mesmo assim, as tuas mudanças são previsíveis pra mim e eu não acho que isso seja uma coisa ruim. Acho a coisa mais linda da amizade, quando você sabe , ou pelo menos acha que sabe tudo.
- Eu acho perigoso. Saber tudo é perigoso, ser amigo é perigoso.
- Ih, eu vou voltar a falar de coisas idiotas pra complementar conversas, faculdade e namorados, então...
- Não...vamos falar mal de você, então...muito melhor ahaha

- Isso é injusto, nós passamos metade dos nossos anos juntos falando mal de mim.
- E porque você acha que eu fiquei tanto tempo com você? Você é o meu boato confirmado preferido. Eu sempre inventei todos difamadores.ahaha

- Acontece que um boato confirmado deixa de ser boato.
- Só se eu quiser. No meu mundo, os boatos são sempre boatos, mesmo os confirmados.
- Me conta...
-Contar o que?
- Porque tantas coisas ruins com a gente?
- Ah, eu não sei, você sabe como eu sou. Você sempre foi tão tudo e eu sempre a metade das coisas. Eu não queria ser metade, eu queria ser tudo. Mas a minha visão de amor sempre foi errada. Eu ficava querendo que você fosse minha música preferida, mas às vezes você era meu sertanejo. Eu odiava isso. Não conseguir criar um você pra mim, e quando a gente se separava, eu ficava esperando que você fosse minha canção preferida de novo, e você até conseguia por uns tempos, mas você sabe como eu sou. Eu vicio numa música e depois eu não aguento mais ouvi-la.
- Eu odiava quando você sumia
- E eu odiava estar ao seu lado às vezes. Precisava de uma música nova. Mas eu tinha saudades, passado um tempo, a música velha preferida me doía o coração e eu voltava.
- Eu passei o nosso tempo todo juntos querendo ser razão.
- E você nunca conseguiria, nem eu era razão, eu sempre voltava. É que também teve uma época em que eu te via menos como amor, você ainda era o meu amor, aquilo com sexo, sabe? momentos em que você era só o sexo, eu me sentia confusa às vezes.
- Complicada você. Eu não vou  mentir que eu adorava isso, continuo adorando, mas o nosso nós agora é um nós diferente. Eu sei que você precisa do mundo. 
- Eu adorava andar de ônibus à noite com um fone no ouvido, escutando uma música que falasse de amor e alternasse ritmos tristes aos alegres sem meus óculos, olhando as lâmpadas que minha retina podre transformava em grandes bolas de fogo. É sério, é tão lindo. Eu me sentia num filme, mas normalmente as músicas são curtas, né?...


Ele ficou me olhando e eu fiquei pensando. Nós nunca seríamos o meu filme preferido, com minhas bolas de fogo ao som de uma música que eu estava viciada. Era tão injusto com ele. Já estávamos diferentes, mas as nossas mudanças nos levavam um ao outro. Eu sentia. Isso era tão injusto comigo.

13 comentários:

Sarinha disse...

Li, que texto FOOOOOOODA! Juro que não achei outro 'adjetivo'. Sério... está entre os meus preferidos! De verdade! Adooro dialogos!
"-O que eu gosto na gente é não precisar começar uma conversa idiota com papo idiota. Nós vamos logo pra idiotice que interessa.
-Que lindo isso!"

escreves MUUUUITO, e muito bem! ^^
Parabéns, minha escritora! (L)
beeijos! te amo! ;D

Natália Franco disse...

Sou mestra nessa de tentar viver a música preferida, o filme preferido...mas quase sempre eu caio naquele velho sertanejo dor de cotovelo... =xx

Seus textos sempre me surpreendendo...ídola!!

Recentemente eu vivi o meu "Before sunrise", um pouquinho mais longo que o original...Atualmente, eu vivo a parte do "Before sunset" que não apareceu no filme...aquela depois de "Acho que vc perdeu aquele vôo baby..."
Eu quero que tenha final feliz...
mas se não tiver, eu guardo os meus CDs e DVDs e começo um novo repertório...

Viajei aqui...
=xx
Eu gosto disso...

=o***

Janaina Maciel disse...

Muito bom teu blog. Muito.

Juliana dos Anjos disse...

Caralho, friend! Só PERFEITO.

'Eu sei que você precisa do mundo.'

Brunadovinil disse...

Eu ainda penso nele como meu filme favorito.

Apesar de saber que hoje é quase impossível. Até porque duas semanas atrás colocamos em pratos limpos.

Me pareceu justo.

:]

Saudade.

Agora Eterno disse...

Lívia,

seus textos são de grande complexidade,sabe?!
rs...me fazem lembrar momentos, os que eu tive e os que eu gostaria de ter.

adoro tudo!!

flash aesthesis..ahushuahsuha

Sério meu! do caraio!!
Parabéns!!

nah disse...

nooossa fiquei maravilhada, muito bom mesmo
:*

Natália Souza disse...

eu gosto quando tu me add ;x
e os comentarios do texto, só pessoalmente no msn ;x
auhisauhusias
mar tu é safada:

- Acontece que um boato confirmado deixa de ser boato.


;* livia binha maria

darsh. disse...

que lindo *-*

L. Normande disse...

mulher, vc escreve muitoo bem!! :)
sim, obrigada pela sugestão de filme, vou sim assistirr!! :) :)
beijoos!!
:**

May Carvalho ჱܓ disse...

Nem sempre o perfeito é o que a gente imagina!!
Não é justo pra mabos...

Beijos

× Alice × disse...

Deve ser dificl conseguir ser sempre o filme favorito do outro...

Dentre todos os teus posts, este definitivamente foi o mais belo!

Ahh, sou a Nay, mas agora com pseudonimo... no novo blog explico!

Xerus
=***

Nelson disse...

essas injustiças são de amargar o coração.