domingo, 14 de dezembro de 2008

Cartas a você


Maceió, 14 de Dezembro de 2008

Querido Você,
diferente das outras vezes, resolvi te mostrar as linhas destinadas a ti. Eu gasto muito mais tempo tentando começar as coisas do que de fato, desenvolvendo-as. Acho que quando se começa, vai mais fácil, não? Você não anda respondendo meus chamados, por onde andas? Algumas vezes me abate uma tristeza por só conseguir escrever cartas, as narrações não me vem muito à mente. Acho mesmo que temos fases, mas me alcança o medo de ser uma fase permanente. Minhas pretenções literárias não poderão se resumir à cartas. Quem as lê tirando eu, não? Cartas servem para nos remeter ao passado, quando estamos muito avançados. Causam certa dor de ter uma saudade do que já não se é. Terça eu li algumas cartas nossas. Sempre, sempre as leio. Mas antes, espero esquecer de alguns detalhes, para me surpreender, sabe? Hoje eu peguei um ônibus e pra passar o tempo da viagem, eu me imaginei conversando com os estranhos. Eles me parecem interessantes. Vi uma criança perto de mim e seus pés estavam sujos de areia. Era o ônibus vindo da praia e, sabe de uma coisa, crianças são as únicas criaturas a quem tolero o cheiro de protetor solar. Acho particular esse cheiro nos pequenos. Uma delas estava a dormir e me deu até vontade de ter filhos quando eu vi aqueles olhos pequenos fechados  e aquela boca miúda, mas são apenas vontades que passam e voltam no outro dia. Acho que filhos, mais que de sexo, deveriam ser feitos de amor, e eu não consigo acreditar em amor que dure; talvez seja por isso que eu não tenho tanta vontade de ter filhos quanto deveria. Esse tipo de coisa faz arrepender quando se está velho e sem ter de que se orgulhar ou reclamar. É triste achar que as pessoas tem filhos para não ficarem sozinhas. Mas não são todos, só alguns. 
Como vai a sua mãe, teus irmãos e a operação da tua tia? lembro que tinha ficado pro mês passado, mas não me dá notícias tem tanto tempo. Talvez eu me mude e semana passada eu até fiz umas malas, numa daquelas vontades de sumir como fogem os pais que vão comprar cigarro, mas eu nem fumo. Queria ir embora e ficar até longe dos amigos e não avisar de mim never more; seria como se eu tivesse morrido. Daí eu nasceria em outro lugar e eu seria meu Deus. Seria tudo tão diferente, mas eu fiquei. Tá tudo igual, mas eu tô aguentando. Eu ando cansada e aquela foto que eu mandei da última vez eu pareço cansada de verdade, não é? Como diz o cara de barba: quando acho que estou quase chegando, tenho que dobrar mais uma esquina. Ando mesmo de saco cheio de esquinas. Tava aqui pensando e eu começei a escrever essa carta tem umas 3 horas, eu faço mil coisas ao mesmo tempo, você sabe, enfim...hoje no almoço, percebi que ano novo tem gosto de uva passa. Ei, talvez eu coloque em prática meus planos que eu disse antes. Tenho que ir, porque ninguém gosta de cartas enormes, é bom saber a hora de parar. Eu vou continuar escrevendo, responde logo, porque talvez eu me mude e quando a gente demora muito a perceber os outros, a gente se magoa e nunca é a mesma coisa. Mesmo que eu mude, não esqueça que eu não quero que você esqueça, e se for seguro, te mando algo lá do fim do mundo.

Com carinho grande de quem se perde.
Lívia.


16 comentários:

crap disse...

"ano novo tem gosto de uva passa."
tem mesmo.
CARALHO. muito foda.


nossa, as pessoas não gostam de cartas longas? zomg. eu só escrevo cartas longas. acho que se não forem longas eu poderia mandar por e-mail. saca?

darsh. disse...

eu é que me perco, lendo algo assim.
pára de me emocionar!
mas continue me inspirando.
:)

;*;*;*;*;*

(tipo de beijinho que aprendi ocm vc! haha)

(nossa, isso ficou bem gay)

Brunadovinil disse...

Tipo...
Uou!

Essa vontade de fugir eu também estava sentindo. Ano passado a situação era grave. Mas esse ano, eu até que aguentei. Mas o desejo ainda existe em mim.


Tenho cartas guardadas.

:**

R.Vinicius disse...

Lívia primeiro quero dizer que seu nome é muito bonito. Eu tenho problemas com cartas, não sei escrevê-las, em parte é por não saber como me expressar para as outras pessoas. Gostei de perceber que não sou o único que mesmo no onibús observa os outros e pensa mil e uma coisas :) Filhos? Diz a minha mãe que ver o dos outros é uma coisa, tê-los é outra, uma diferença de outro mundo. Quanto a sumir, lembrou-me de Jack Kerouac e seu Pé na Estrada (recomendo o livro, acaso não tenha lido) Fico por aqui com as cartas que jamais escrevi.

Ótima semana. Abraço,

R.Vinicius

Ariana disse...

essa carta longa, escrita por alguém e endereçada a ninguém as vezes é a nossa vida...

"Mesmo que eu mude, não esqueça que eu não quero que você esqueça, e se for seguro, te mando algo lá do fim do mundo."

de repente o fim do mundo não é algo tão impenetrável.

lindo texto. bjaum

pkvs disse...

'Causam certa dor de ter uma saudade do que já não se é. Terça eu li algumas cartas nossas. Sempre, sempre as leio. Mas antes, espero esquecer de alguns detalhes, para me surpreender, sabe? '

pê é exatamente assiiim :O
isso sempre acontece comigo :x
mas não sei se gosto; eu prefiro que as pessoas não me dêem motivos pra ler suas cartas, prefiro que ela esteja no meu dia a dia, não em lembranças de cartas :/ ;D

'e quando a gente demora muito a perceber os outros, a gente se magoa e nunca é a mesma coisa. Mesmo que eu mude, não esqueça que eu não quero que você esqueça, e se for seguro, te mando algo lá do fim do mundo.' BELO ISSO.

lindo texto Lívia .

Natália Souza disse...

'Causam certa dor de ter uma saudade do que já não se é. Terça eu li algumas cartas nossas. Sempre, sempre as leio. Mas antes, espero esquecer de alguns detalhes, para me surpreender, sabe? '

pê é exatamente assiiim :O
isso sempre acontece comigo :x
mas não sei se gosto; eu prefiro que as pessoas não me dêem motivos pra ler suas cartas, prefiro que ela esteja no meu dia a dia, não em lembranças de cartas :/ ;D

'e quando a gente demora muito a perceber os outros, a gente se magoa e nunca é a mesma coisa. Mesmo que eu mude, não esqueça que eu não quero que você esqueça, e se for seguro, te mando algo lá do fim do mundo.' BELO ISSO.

lindo texto Lívia .

(era eu aí em cima)

Sarinha disse...

Assim, eu li esse texto ainda não tinha comentario nenhum! Mas eu não consegui dizer ontem o que ele me passou! Sabes como ando! ne?
é lindo seu texto, fri! e cada vez que eu vejo um EU nos seus textos me dá uma alegriia! serio mesmo! eu acho um avanço! =x

é triste achar que as pessoas tem filhos p nao ficar só! :/
"é bom saber a hora de parar." isso foi pra mim que eu to ligada! hahahaha

ei, o amor dura, xu! ;D
te amo, meu eu do lado de fora! ;*!

meus instantes e momentos disse...

muito bom o texto, parabens.
foi bom vir aqui.
maurizio

Natália Souza disse...

algo me diz que vc quer mudar as cores!
lelele

:*

Any Cavalcante disse...

Observar as pessoas é sempre bom.Confesso que também tenho essa mania.O ônibus é um bom observatório, lá entram tantas pessoas diferentes, que estão apenas passando para outros lugares.Enfim,possuem outros objetivos.Quanto as cartas longas...que sejam longas,mas que também sejam belas e sinceras.

lINDA POSTAGEM!

Patricia disse...

Tãooo lindo minha "delinquente juvenil" preferida!!!! =)
É engraçado quando alguém escreve no papel o que vc sente...é bom! VC percebe q não é o único a sentir aquilo no mundo.

bjos
Paty

Natália Franco disse...

"Acho que filhos, mais que de sexo, deveriam ser feitos de amor."

Gostei disso!!

E tem gente (demoro, mas leio) que lê suas cartas viu?!

;)

heroizin¬. disse...

Lembrou-me Clarice...
...e acabou fazendo algumas ideias fluírem.

Paola disse...

"Cartas servem para nos remeter ao passado, quando estamos muito avançados." concordo (:

conheço você do flickr. bom te encontrar aqui!

Nelson disse...

"Acho que filhos, mais que de sexo, deveriam ser feitos de amor, e eu não consigo acreditar em amor que dure; talvez seja por isso que eu não tenho tanta vontade de ter filhos quanto deveria."

ahn eu vejo amor que dure, porque pra mim o amor não acaba.

sendo assim: tenho vontade de ter uns mil filhos!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

é verdade.

e...
"ano novo tem gosto de uva passa."

se eu soubesse quem foi o filho da puta que disse q uva passa no arroz é bom... ¬¬

beeijo!