segunda-feira, 30 de março de 2009

Diga uma cor...

[LEIA OUVINDO A MÚSICA DO VÍDEO ABAIXO]
-Eu quero que você me diga: O que é amor? O que é amar? Você sabe?
-Eu acredito que o sentimento é sempre certo, sempre. 
-Mas como? Como saber que ele é o que se acha? 
-Eu mudo tanto de idéia, o tempo todo. Se você achar, é porque ele é.
-Não é tão simples assim. Eu já mudei antes, você nao veio comigo, ou talvez tenha vindo. Existe um pouco de você em mim, um pedaço podre, um pedaço doce. Um meio inteiro que eu nao gosto quando provo. Eu tenho medo e, às vezes, eu nao quero mais ter você. Eu fico pensando que amanhã você acorda e nao quer mais isso. Eu não suportaria. Todos os dias eu acabo e volto, sem você suspeitar. Todos os dias eu abro mão de você.
-Absurdo isso, você sabe! Abrir mão de mim pelos 50% de chance do que existe em mim acabar.
-Não é um absurdo! Eu costumo sofrer, sou eu. Eu acho que é meu jeito de nao voar. Meu jeito disso nao ser amor. Meu jeito. OK, é um absurdo.
- Teu jeito é injusto com a gente.
-Meu jeito me faz perder você em mim a cada dia. O "você" dentro de mim me dói.
-É o que você quer? criar um novo "eu" que te faz mal, me tendo aqui, ao teu lado?
-Não, eu nao quero. Eu não me encontro apaixonada por alguém. Eu preciso disso, mas eu me sinto idiota falando algo idiota como "eu te amo". 
-Meu bem, eu estou aqui. Eu gostaria que vc me visse. Eu gostaria que você me sentisse. Me veja, eu não sou uma criação sua. Me aceite.
- É que eu percebo que pensar em nao dizer já é pensar e é só um jeito de você não saber, porque eu não quero que você diga. Eu não quero que você minta e isso vire uma mentira. É o que a gente faz, nao é? Quando acaba, a gente finge que nunca existiu.
-Não coloque nomes, se não quiser. 

O meu coração doeu, eu achei que fosse morrer, mas dores no peito nao se relacionam ao coração, não fisicamente. A minha dor era diferente. Era...era uma resposta. Uma resposta pro que ele disse segundos depois...

-É que você fica linda nua, mas seus olhos negros brilhando nessa meia luz me engolem o mundo. Se isso for amar...

Um dia isso acaba, mas palavras certas em momentos certos são o tipo de coisa que fazem dos sentimentos certezas nas dúvidas. Eu precisava entender...mais que isso, eu queria.

domingo, 15 de março de 2009

Interlúdio.


Há coisas que não se explicam, saiba que eu tenho medo delas. Eu não quero ser assim, nunca quis. Eu poderia usar aquelas frases do tipo: "se você soubesse...", mas na verdade, se você soubesse a quantidade de absurdos que eu penso. Se...Eu guardo as coisas em mim e eu alimento qualquer tipo de coisa ruim. Eu sou um jardim de improdutividade. Nunca vou achar que elogios são verdadeiros e, mesmo que eu queira que sejam por alguns segundos, vai sempre soar como se fossem para outra pessoa. Eu estaria ao lado, ouvindo...se você soubesse. Eu preciso te falar que eu nao sei lidar com certas situações e dizem que isso me qualifica como humana, acontece que meus olhos me traem. Eles são uma ponte direta com meu coração. Essa respiração me toma qualquer fluxo de normalidade e eu fico assim...com isso, chamado amor. Essa coisa que toma as melhores partes de mim. Eu nao sei fingir e tudo me traz. Eu vou. 
Dizem que amor dura certo tempo, coisa e tal. Dizem que amor muda uma vida. Eu nao sei...eu tenho mania de dizer, se as coisas acabam, que elas nao foram verdadeiras e eu preciso parar com isso. Eu preciso aceitar melhor os fins, nao só nos textos. Eu sinto saudade das coisas, mas eu nunca sei o momento exato em que elas deixaram de ser. O momento exato em que a minha vida mudou. Ela já mudou tanto e eu sou tão jovem, mas em inglês, essas palavras soam mais bonitas. Eu queria ser mais segura e aceitar o que for para ser aceito nos momentos certos e viver normalmente. Eu gostaria de uma perfeita simetria. Sabe que as conveniências sempre me assustaram e mesmo que eu minta para mim, eu sempre reconheço essa verdade. Eu só queria poder dizer, nessas linhas, esse meu sentimento que dias como esse causam em mim. Eu esqueço e lembro...esqueço e lembro...esqueço...lembro. Se apenas você soubesse...
o que eu acho que sinto. O que eu tenho certeza. Diga que quer saber. Queira saber.