terça-feira, 30 de junho de 2009

Enquanto isso


No seu país, da sua língua, eu me perdi;
Ela já não me guiava pelas tuas pernas e aquelas costas eu já amaciara;
São tantas ruas abissais pelo nosso caminho, eu não ousaria mergulhá-las
Nem em tua cara lisa, nem no teu peito peludo.
Fingindo ser doloroso, eu esperava que chovesse
Em mim, em você, por alguns minutos.
São pretas e brancas as nossas listras
São pesadas as nossas pedras, esses nossos ombros
É o que temos de nosso.
Serpentinas e saias, pelando seu corpo.
Você lambe cada passo, pesa cada acento.
Não adianta, eu não aprendo...eu bem que tento.
Eu até juro, perjuro, e, então, realizo.
É tanta falta do que eu esqueço, você sabe.
Vem cá, me desenha as bordas, me deixa te amar.
Eu gosto do seu traço. Só dessa vez.
Me exagera.

8 comentários:

Lah. disse...

txaaaahhh!
q fodástico!
"Me exagera."

txaaaahhhhhh!


=**

Estêvão dos Anjos disse...

Perfeito po, o primeiro e o último verso entao... vc é tao boa fazendo poemas qtn aqueles fragmentos de sentimentos... a mesma sensualidade, metáforas e putarias. gostei q so, queria ver mais!

darsh. disse...

gosteigosteigosteigostei
pra variar :D:D:D

crap disse...

poxa, isso são versos né?
e tipo... poxa... você detonou né?


"São pretas e brancas as nossas listras."

listras me lembram manuel bandeira.

Namorados - Manuel Bandeira

O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:
— Antônia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara.
A moça olhou de lado e esperou.
— Você não sabe quando a gente é criança e de repente vê uma lagarta listada?
A moça se lembrava:
— A gente fica olhando...

A meninice brincou de novo nos olhos dela.
O rapaz prosseguiu com muita doçura:
— Antônia, você parece uma lagarta listada.
A moça arregalou os olhos, fez exclamações.

O rapaz concluiu:
— Antônia, você é engraçada! Você parece louca

Nelson disse...

poxa...
tudo muito foda.
"Vem cá, me desenha as bordas, me deixa te amar.
Eu gosto do seu traço. Só dessa vez.
Me exagera."

e esse final heim?

gostei muito.

e sim!
o texto que vc me fez fazer e o "coisas frágeis".
va lá, sua ingrata.
você ainda me deve N visitas lá.

=**

Ludmila disse...

"Vem cá, me desenha as bordas, me deixa te amar.
Eu gosto do seu traço. Só dessa vez.
Me exagera."

Me sinto uma criancinha. Sério mesmo. Esse povo que tem um texto de gente grande. Aff! Escrevo mais não, sáporra!

Fodão, Livs. Vc devia escrever livro. E enveredar pelos versos.
:**

M.Henrique Leite disse...

Fodão, Binha. Muito bom mesmo.

"São pesadas as nossas pedras, esses nossos ombros."

Talvez, devêssemos tirar essas pedras pesadas. Ou mesmo, permtir que alguém nos ajude a carregá-las.

Ah, tais me devendo uma visita também heim. =)

=***

Ari Denisson disse...

Muito puderoso o final.