domingo, 25 de outubro de 2009

Língua e Juízo.

Eu não gostava do gosto do gelo. Ele mordia sem cessar, lambia, se lambuzava com a água lhe escorrendo pelo pescoço, peito, umbigo, virilha, coxa, perna, calcanhar, chão. Era uma delícia, ou pelo menos parecia. A gota era sacanagem pura. Não sei, simplesmente nunca gostei do gosto que o gelo tinha. Mas o jeito que ele lambia o cubo translúcido...hum...me fazia querer gostar de gelo também. Então eu fantasiava. Por noites e noites, imaginei como seria ter o gelo à boca, a sensação gelada, disparando meus nervos, fazendo-me perceber que aquilo era gelo, os dedos já dormentes e molhados, maldita temperatura ambiente. Fantasia não tem gosto, só vontade, isso eu tinha, e muita. Ele lambia o gelo como ninguém, acredite...que vontade me dá, assim, de repente, de lamber todo esse gelo, e me lambuzar na poça transparente e quente que a minha língua vermelho fogo pode fazer.

7 comentários:

Larissa disse...

Eu gostei muito.

Sarinha disse...

ai ai, esse gelo! :x

;*!

Ludmila disse...

Uaaaaaaaaaaaaaau... :x

Esse gelo, hein Livs? Que gelo é esse?


"se o coração bater forte e arder, no fogo o gelo vai queimar"

Estêvão dos Anjos disse...

Realmente... que gelo?
com esse fogo ele evapora rapidinho : x

ainda quero ler um romance erótico seu, vc consegue passar uma sensualidade incrível. muito bom

p.s. n tem nada de inútil o texto. run!

crap disse...

muito bem, muito bem.

creio já ter lido melhor por aqui. acredito que você faça melhores.
;D

e gota é foda mesmo, ó http://www.marimar.com.br/boletins/gotamao.gif

darsh. disse...

uau

Eraldo Paulino disse...

Se vc tinha vontade de provocar calor com essa história de gelo... conseguiu!

Muito bom seu blog... estou seguindo.